Biografia – William Waack

Conheça a biografia do jornalista, professor e ex-handebolista, William Waack. História, carreira, programas e muito mais sobre o artista.

Biografia de William Waack
Nome verdadeiro de William Waack: William José Waack
Nome artístico: William Waack
Onde William Waack nasceu? São Paulo/SP
Aniversário de William Waack: 30/08
Signo de William Waack: Virgem
Profissão: jornalista, professor e ex-handebolista

História de William Waack
William José Waack (William Waack) é um jornalista, professor e ex-handebolista brasileiro. Ele nasceu em São Paulo (SP), no dia 30 de agosto de 1952.

Carreira de William Waack
O jornalista, professor e ex-handebolista, William Waack, começou a sua carreira artística atuando em algumas das principais redações do Brasil, como o Jornal do Brasil, Jornal da Tarde, O Estado de S. Paulo, na revista Veja e na TV Cultura.
Foi editor de Economia, Internacional e Política. Atuou como secretário de redação, editor-chefe e repórter, função em que ficou durante mais tempo.
Nos anos 70, Willian escrevia para o Jornal do Brasil, na década seguinte passou a ser secretário de redação do Jornal da Tarde e em 1988 assumiu o Jornal da Cultura.
Logo após, ele foi correspondente internacional na Alemanha, no Reino Unido, na Rússia e no Oriente Médio por 10 anos.
Desde 1996 que William Waack trabalha para a Globo e voltou ao Brasil no ano de 2000.
Foi enviado aos Estados Unidos para cobrir a eleição que reelegeu Bush filho e já apresentou o Globo News Painel de Nova York.
William também apresenta o Jornal da Globo sozinho, já que Christiane Pelajo deixou o telejornal para um novo projeto jornalístico. Além disso, comanda o programa semanal de debates políticos e econômicos Painel, na Globonews.
Em 2006, William passou a assinar uma coluna na editoria Mundo do portal de notícias G1.
Desde 2009 que ele é professor da Fundação Armando Alvares Penteado.
Dentre os livros mais famosos de William, está Camaradas, que conta a história da Intentona Comunista no Brasil, a partir de documentos da URSS.
Escreveu em 1985, também o polêmico – As Duas Faces da Glória, onde analisa a Força Expedicionária Brasileira (FEB) vista por alguns de seus aliados e inimigos.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *